Pesquisas relacionadas ao que faz um casamento ir bem indicam algumas tarefas “psicológicas”, comuns em parceiros que constroem casamentos felizes:

• Separe-se emocionalmente da família em que cresceu; não ao ponto do estranhamento, mas o suficiente para que sua identidade fique separada daquela dos pais e irmãos.
• Construa uma parceria baseada em intimidade e identidade compartilhadas, ao mesmo tempo que estabeleça limites para proteger a autonomia de cada um dos parceiros.
• Crie um relacionamento sexual rico e agradável e proteja-o das interferências com obrigações de trabalho e família.
• Para casais com filhos, assuma os papéis próprios da paternalidade e absorva o impacto da entrada de um bebê no relacionamento conjugal.
• Enfrente e domine as inevitáveis crises da vida.
• Mantenha a força do vínculo marital frente às adversidades. O casamento deve ser um paraíso seguro onde os parceiros possam expressar suas diferenças, raivas e conflitos.
• Use humor e riso para manter as coisas em movimento, evitando o tédio e o isolamento.
• Alimente e conforte um ao outro, satisfazendo as necessidade de cada um dos parceiros de dependência e incentivo, continuamente oferecendo encorajamento e apoio.
• Mantenha vivas as imagens românticas iniciais, imagens idealizadas de apaixonar-se, enquanto enfrenta com sobriedade as realidades das mudanças provocadas pelo tempo.

Agradecimentos à Judith S. Wallerstein, PhD, co-autora do livro The Good Marriage: How and Why Love Lasts e ao apahelpcenter.org