Na prática clínica, uma das dificuldades sexuais que apresenta mais desafios para a compreensão de sua etiologia, e consequentemente para proposições terapêuticas, é a diminuição do desejo sexual.
O transtorno do desejo sexual hipoativo (TDSH) é classificado pelo Diagnostic and Statistical Manual of Mental Disorders – fourth edition – text revision (DSM-IV-TR)1 como deficiência ou ausência de fantasias sexuais ou do desejo para manter a atividade sexual, considerando o contexto de vida e a idade do indivíduo, sendo necessário que essa condição cause sofrimento pessoal acentuado.

Leia aqui: Desejo sexual feminino – Heloisa Fleury