O termo “depressão” é muito usado para descrever reações emocionais normais, podendo essa doença não ser reconhecida pelo fato de que seus sintomas tendem a ser fàcilmente atribuídos a outras causas.

Há uma tendência a negar a depressão, considerando natural uma tristeza excessiva frente a situações difíceis. No entanto, podemos enfrentar dificuldades e estresse sem depressão.

A pessoa que apresenta continuamente quatro ou mais dos seguintes sintomas ou por mais de duas semanas deve procurar ajuda profissional:
• Mudança visível do apetite, com perda significativa de peso;
• Mudança visível nos padrões de sono;
• Perda do interesse e do prazer em atividades apreciadas anteriormente;
• Perda da energia, fadiga;
• Sentimentos de desvalia;
• Sentimentos persistentes de desesperança;
• Sentimentos de culpa impróprios;
• Inabilidade em concentrar ou pensar, indecisão;
• Pensamentos recorrentes de morte ou suicídio (necessidade de tratamento imediato);
• Melancolia;
• Sintomas físicos, tais como dor de cabeça ou estômago.

Estas condições físicas e mentais tendem a permanecer, mesmo com notícias ou fatos felizes.

O deprimido pode recusar ajuda, levando as pessoas próximas a ficarem frustradas pela ausência de resposta aos seus esforços. Porém, pode ser muito boa a recuperação para aqueles que procuram cuidado profissional apropriado.

Terapeutas qualificados e experientes podem ajudar o deprimido a recuperar o controle de sua vida, ao identificar os fatores que contribuem para sua depressão (causas psicológicas, comportamentais, interpersoais e situacionais).

Como o psicoterapeuta pode ajudar a pessoa deprimida?
Numa psicoterapia, podem ser abordados:
• Questões da vida que contribuem para a depressão, ajudando na compreensão dos pontos que podem ajudar a melhorar.
* Alternativas para o futuro, identificando objetivos realísticos que permitam aumentar o bem estar mental e emocional.
• Maneiras como lidou no passado, com sucesso, sentimentos semelhantes.
• Padrões de pensamento negativos ou distorcidos que contribuem para sentimentos de desesperança e desamparo que acompanham a depressão. Por exemplo, a pessoa deprimida tende a hipergeneralizar, pensando em “sempre” ou “nunca.” Pode também tomar os eventos pessoalmente. A psicoterapia pode ajudar a desenvolver uma visão mais positiva da vida.
• Pensamentos e comportamentos aprendidos que críam problemas e contribuem para a depressão. Por exemplo, compreender e melhorar os padrões da interação com pessoas que contribuem para sua depressão.
• Recuperar o sentido de controle e de prazer na vida. Psicoterapia auxilia a ver opções, assim como incorporar gradualmente atividades agradáveis, preenchendo novamente a vida.

Medicação é útil para tratar depressão?

Medicação pode ser muito útil para reduzir os sintomas de depressão em algumas pessoas, particularmente para os casos moderados e/ou mais graves. Alguns profissionais usam uma combinação de psicoterapia e medicação. Dado os efeitos colaterais, todo uso de medicação requer acompanhamento médico. Algumas pessoas deprimidas podem preferir a psicoterapia ao uso de medicação, especialmente se a depressão é leve.

Adaptado de texto da APA – Associação Americana de Psicologia, de 2006.