Esteja disponível para seus filhos
• Observe quando estão mais disponíveis para falar, por exemplo, antes do jantar, no carro – e esteja disponível.
• Comece o bate papo; isso conta de seu interesse no que está acontecendo na vida deles.
• Encontre tempo toda semana para uma atividade com cada uma das crianças e evite programar outras atividades nesse momento.
• Descubra o que gostam, por exemplo, a música favorita, etc. e demonstre seu interesse.
• Inicie a conversa compartilhando o que você tem pensado sobre o assunto, o que é melhor do que começar a conversa com uma pergunta.

Ajude seus filhos a perceberem que você está ouvindo
• Quando seus filhos estão falando sobre preocupações, pare o que quer que esteja fazendo e escute.
• Expresse interesse no que estão dizendo sem interferir de forma invasiva.
• Escute o ponto da vista deles, mesmo quando está difícil ouvir.
• Espere o final antes de responder.
• Repita o que você ouviu para depois falar, para garantir que compreendeu corretamente.

Responda de uma maneira que facilite a eles ouvirem
• Enfraqueça suas reações fortes; crianças não ouvem se parecer irritado ou defensivo.
• Expresse sua opinião sem diminuir a deles; reconheça que é aceito discordar.
• Resista a discutir sobre quem está certo. Diga algo como “eu sei que você discorda de mim, mas isto é o que penso”.
• Focalize mais nos sentimentos da criança do que nos seus durante a conversa.

Lembre-se
• Pergunte o que estão querendo ou precisando, como por exemplo, conselho, apenas escutar, ajuda para lidar com sentimentos ou para resolver um problema.
• Crianças aprendem por imitação. Na maioria das vezes, seguirão seus caminhos na maneira como lidam com a raiva, resolvem problemas e abordam sentimentos difíceis.
• Converse com eles, não dê aulas, critique, ameace ou diga coisas que possam machucar.
• Crianças aprendem com suas próprias escolhas. Desde que as conseqüências não sejam perigosas, não sinta que você tem que interferir.
• Seu filho pode estar testando e dizer apenas uma pequena parte daquilo que o está incomodando. Escute com cuidado o que está sendo dito, incentive-o a falar, facilitando que ele/ela compartilhe o resto da história.

Ser pai/mãe é trabalho duro
• Escutar e falar é a chave para um vínculo saudável entre pais e filhos. Mas ser pai/mãe é um trabalho duro e manter um bom vínculo com os adolescentes pode ser um desafio, especialmente quando os pais estão sofrendo muitas outras pressões. Se você estiver tendo problemas por um período de tempo prolongado, pode ser necessário consultar um(a) psicoterapeuta para descobrir no que pode ser ajudado.

Traduzido da APA – Associação Americana de Psicologia.