Desejo Sexual Feminino

Na prática clínica, uma das dificuldades sexuais que apresenta mais desafios para a compreensão de sua etiologia, e consequentemente para proposições terapêuticas, é a diminuição do desejo sexual.
O transtorno do desejo sexual hipoativo (TDSH) é classificado pelo Diagnostic and Statistical Manual of Mental Disorders – fourth edition – text revision (DSM-IV-TR)1 como deficiência ou ausência de fantasias sexuais ou do desejo para manter a atividade sexual, considerando o contexto de vida e a idade do indivíduo, sendo necessário que essa condição cause sofrimento pessoal acentuado.

Leia aqui: Desejo sexual feminino – Heloisa Fleury

Atualidades em ejaculação precoce

Na 2a Conferência Internacional sobre Disfunções Sexuais, ocorrida em 2003, os especialistas recomendavam que a ejaculação precoce (EP) fosse diagnosticada por três critérios: latência ejaculatória breve, perda do controle sobre a ejaculação e desconforto
psicológico do paciente e/ou da parceira.1 Em 2005, na Conferência sobre EP promovida pela Sexual Medicine Society of North America, esses critérios diagnósticos foram confirmados, além da ênfase dada ao levantamento da história sexual do indivíduo.

Leia aqui: Atualidades em ejaculacao precoce – Heloisa Fleury

O co-inconsciente de Moreno: contribuições da Neurociência

Este texto, em co-autoria com Edward Hug, foi publicado na Revista italiana Psicodramma Classico, editada pela Associação Italiana do Psicodramatista Moreniano. Apresenta uma primeira tentativa de correspondência do conceito de co-inconsciente de Moreno com as contribuições da neurociência. A literatura sobre intersubjetividade explica a operação de um sistema de neurônios espelho, central ao fenômeno de ressonância inconsciente. Algumas das fundamentações teóricas de Moreno relativas ao conceito de co-inconsciente são discutidas, tomando como referência a correspondência de fatos neurológicos observados no início do desenvolvimento da intersubjetividade humana. O trabalho psicoterapêutico com os estados co-inconscientes é abordado juntamente com algumas recomendações para o psicodramatista contemporâneo.

Leia aqui: Moreno contribuicoes na neurociencia – Heloisa Fleury

A visão da IAGP

Essa apresentação ocorreu no III Congresso Regional da IAGP do Mediterrâneo, em Barcelona, Espanha, em 2008. Apresenta a missão da Seção Transcultural da IAGP, coordenada pela autora de 2006 a 2009, e alguns desafios no trabalho com populações em que a diversidade cultural seja uma característica importante.

Leia aqui: A visao da IAGP – Heloisa Fleury

A redação científica apaixonada

Trata-se de um texto de 1996, que vem sendo utilizado por muitos orientandos no processo de planejamento da Monografia. Apresenta duas partes distintas. A primeira é a apresentação do tema A pesquisa no Psicodrama: questões e reflexões, no X CONGRESSO BRASILEIRO DE PSICODRAMA (Fleury HJ, 1996). A segunda é a última versão de um texto elaborado por mim e pelo José Roberto Wolff, a quem agradeço especialmente.

Leia aqui: A redacao científica apaixonada – Heloisa Fleury

 

O impacto da menopausa e da andropausa na sexualidade

Esse texto apresenta a evolução da compreensão científica da sexualidade humana, desde o modelo proposto por Masters e Johnson, complementado por Kaplan e revisto recentemente por Basson. Apresenta características da transição menopáusica e da andropausa e discute aspectos da sexualidade feminina e masculina relevantes nesta etapa da vida.

Leia aqui: Sexualidade: menopausa e andropausa – Heloisa Fleury

Entrevistas

Acompanhe na mídia